Pilates Funcional

Para início de conversa, é essencial esclarecer uma coisa: o método Pilates já é, claramente, um método funcional. Ou seja, ele promove a funcionalidade do corpo em seus movimentos naturais.

Assim, com uma divulgação de diversas atividades físicas, uma exigência maior, por parte dos alunos, em busca da modalidade física perfeita começa a aparecer.

Certos alunos não querem, de forma alguma, abrir mão do Pilates, mas necessitam de um treino que tenha maior agilidade, esforço instantâneo, e que, principalmente, auxilie mais no emagrecimento. É aí que entra o grande Pilates Funcional.

Um pouco sobre o Método Pilates e o Treinamento Funcional

O Pilates, método que teve o nome inicial de “contrologia”, é um tipo de atividade física avaliado muito bem por seus praticantes. Ele tem como principais objetivos o controle

dos músculos, o fortalecimento muscular e a melhora do tônus, conferindo maior

flexibilidade, agilidade e a coordenação entre a mente e o corpo.

Existem formas de Pilates praticadas como terapias, para além da ocupação da mente, alinhar o pensamento com a ação, ou seja, a mente com o corpo.

A técnica é muito próxima ao exercício de força, melhorando o contorno corporal, e, além de trazer mais força, ajusta a postura e melhora a musculatura definida do centro de força do corpo, o chamado core, anatomicamente caracterizado pelos músculos delimitados da parte inferior, pela cintura pélvica e o assoalho pélvico.

Na sua região superior do diafragma, em seu anterior pelo transverso abdominal e oblíquo interno, e em sua zona posterior pela coluna vertebral e em multífidus transversal ou

espinhosa, sendo este o músculo mais profundo da coluna.

O Treinamento Funcional é um método de trabalho do corpo que possui técnicas dinâmicas e mais avançadas que os treinos convencionais, como por exemplo a musculação na academia.

As técnicas do Treinamento Funcional são caracterizadas por treinar os músculos espalhados por todo o corpo em um só movimento, e geralmente sem a utilização de aparelhos auxiliares de treino, somente com alguns objetos como pesos ou cordas, outra diferença do treino convencional de musculação, que utiliza os aparelhos e cada um destes aparelhos treinam um grupo específico de musculatura.

As sequências de movimentos incluem os movimentos lentos, para promover a conscientização do movimento para o indivíduo que pratica o treinamento, além dos exercícios mais rápidos e bruscos, onde a instabilidade criada externamente provoca reações rápidas e reflexos.

Os movimentos e técnicas do Treinamento Funcional se baseiam nos movimentos naturais do ser humano, que treinam características como força, velocidade, equilíbrio, concentração, condicionamento, resistência e até mesmo a agilidade.

Saiba mais: O Pilates aumentando o desempenho sexual

O Pilates Funcional

Como dito anteriormente, e apenas complementado, o Pilates tradicional trabalha o condicionamento físico através da respiração e do bem-estar.

Os movimentos e exercícios propostos pelo método não resultam em impactos nas articulações, salvo exceções onde há um impacto mínimo causado por uma má realização do exercício.

Ou seja, sua intensidade é moderada e são exercícios extremamente voltados ao trabalho da postura. Apesar de causar emagrecimento, se esse é o foco do aluno, o mais adequado seria o Pilates Funcional.

O Pilates Funcional por sua vez, possui o mesmo embasamento do condicionamento físico do Pilates tradicional, porém ele é muito mais dinâmico (puxando isso do próprio Treinamento Funcional) e possui os movimentos mais intensos, sendo assim, muito mais apropriado para o emagrecimento.

O Pilates Funcional e o emagrecimento

O principal benefício que é oferecido na modalidade do Pilates Funcional, é, de fato, o emagrecimento. Além disso, temos uma melhora na flexibilidade e movimentação do corpo, que se mostram muito significativas após um certo período de treinamento.

É possível perder bastante peso com a prática do mesmo por conta da sua intensidade. Quanto maior o esforço feito por parte do praticante, mais seu metabolismo irá trabalhar e acelerar, o que fará com a queima de gordura ocorra de forma muito mais rápida.

O mais interessante deste método é que ele pode ser realizado tanto por uma pessoa comum, sem muita experiência em exercícios físicos, quanto por um atleta profissional.

Todavia, no caso de pessoas não acostumadas com exercícios físicos, é altamente recomendável que antes ela consulte um médico especialista para fazer uma avaliação do seu corpo e de suas respectivas necessidades e limitações. Afinal, o Pilates funcional e qualquer outra atividade física devem proporcionar apenas benefícios ao corpo.

Também é válido ressaltar que, apesar do Pilates Funcional focar na realização de movimentos naturais do corpo, também é permitido fazer uso de aparelhos e acessórios, tais como a bola suíça, por exemplo.

Você conhece a história do Treinamento Funcional?

O quão funcional é o corpo do ser humano é uma habilidade testada diariamente, desde as sociedades antigas, onde isso era questão de sobrevivência.

Segundo a linha histórica, na Grécia Antiga, nos jogos olímpicos, os gregos desenvolveram aparelhos e equipamentos, além de métodos que auxiliavam no treino dos atletas para uma superação e obtenção dos resultados maior.

Em seguida, essa prática também foi aplicada na Roma Antiga, entre os gladiadores.

Hoje em dia, o Treinamento Funcional mantém a sua essência como um treinamento físico que trabalha o corpo de forma dinâmica, tendo como conceito base a melhoria da aptidão física relacionada para com a saúde, além da prevenção da lesão do músculo esquelético como um todo.

Além de tudo, o treinamento funcional tem como característica realizar a igualdade de habilidades biomotoras fundamentais do ser humano, para uma maior produção de movimentos mais eficientes, e a melhoria de rendimento em atividades produtivas do dia a dia, como o trabalho ou estudo do indivíduo.

Paul Chek foi o responsável por desenvolver um método de treinamento funcional focado nos movimentos fundamentais e naturais do corpo humano na época do homem primitivo, e que também são executados na rotina diária do homem moderno, utilizando movimentos como correr, agachar, abaixar, puxar, empurrar, levantar, girar, etc.

Algumas linhas de métodos do treinamento funcional discorrem sobre o treinamento com instabilidade física, ou seja, movimentos rápidos e bruscos, junto ao treinamento do core, que é o centro de força do corpo, formado pelos músculos do abdômen e próximos a coluna vertebral.

O treinamento do core, ou centro de força do corpo, como o treinamento de habilidades que visa melhorar a capacidade de controlar a posição e o movimento do tronco sobre a pelve e as pernas para permitir uma boa ou ótima produção, transferência e controle da força e movimento para o segmento distal, numa cadeia que possui atividades integradas.

Dessa forma, o resultado é um produto do controle motor e da capacidade muscular do complexo lombo-pelve-quadril com uma estabilidade muito melhorada.

O treinamento funcional, hoje, está no topo das atividades físicas modernas e inovadoras pelos profissionais envolvidos com qualidade de vida e resultados que são duradouros na vida dos pacientes. O treinamento é focado na vida de cada um dos pacientes, com bases históricas nos exercícios realizados na Grécia e Roma Antiga.

Na mitologia grega, os gregos se inspiravam e observavam a importância de certos desafios para os treinamentos com a obra “Os doze trabalhos de Hércules”, que eram a inspiração dos atletas e soldados gregos para manter o corpo alinhado com a mente avançada que a Grécia possuía.

No final dos anos 90, temos o início do treinamento funcional em São Paulo, localizado em uma academia onde o público alvo era focado para lutas, que depois acabou por expandir-se para os demais alunos.

Também no final da década de 90, o método Pilates se firmava como uma nova forma – e inovadora – de atividade física em São Paulo. Algum tempo depois, ou seja, no começo dos anos 2000, surge uma versão de metodologia chamada ballness (que foi apresentado no fitness Brasil), onde os exercícios de Pilates eram aplicados utilizando o equipamento “bola suíça”.

Em 2004, é lançado o Treinamento Funcional Resistido, que marca a história do Treinamento Funcional no Brasil sendo o primeiro livro sobre treinamento funcional escrito por autores brasileiros.

Nele, temos os professores Maurício de Arruda Campos, além do Bruno Couraucci Neto, que apresentam uma versão de atividade física ligada a capacidade motora e funcional do dia a dia, que alinha o corpo e a mente e ainda possui uma característica fortíssima de reabilitação, fazendo o uso quase excessivo de exercícios integrados e seguindo a linha encontrada em artigos científicos.

No Brasil, existem sempre divergências sobre quais atividades são ou não funcionais para quem pratica o treinamento.

Atualmente, existem métodos e meios semelhantes, mas que divergem em questão de origem e por isso geram especulações e conflitos nas informações e ensinamentos.

Logo, podemos concluir que, no Brasil, existem três linhas metodológicas de treinamento funcional, dentre elas tendo uma mais voltada a especificidade esportiva, outra que é originada da unificação entre Pilates e Treinamento Funcional, focada no Power House (ou seja, o core, centro de força do corpo), e por último a visão dos exercícios integrados de uso quase excessivo que melhoram as capacidades funcionais, motoras, cognitivas e mentais do indivíduo atleta.

Cabe ao seu personal estudar os métodos de treino e saber qual das três linhas é a mais adequada para você. Venha nos conhecer na Omega4, o melhor Treinamento Funcional do Paraíso e Jardins!

Saiba Mais: Massagem Desportiva - O ideal para um atleta

Como é o Treinamento Funcional na Omega4?

A Omega4 Estúdio do Corpo, localizada entre os bairros Paraíso e Jardins, possui profissionais extremamente qualificados e que buscam a metodologia de ensino adequado para cada indivíduo que procura treinar conosco.

Os nossos profissionais estudam a história e os melhores métodos para se ensinar o treinamento funcional no Brasil, agregados a uma ótima infraestrutura e localização do espaço que o Estúdio possui.

Além de tudo, a recuperação e o condicionamento físico que os pacientes deste treinamento ganham é impressionante, com um resultado maravilhoso, após as batalhas e treinamentos consecutivos durante a semana.

Alternando exercícios rígidos, que envolvem velocidade, reflexos e movimentos bruscos com exercícios mais leves, que conscientizam o paciente do exercício feito, além de treinar a resistência e flexibilidade, os resultados são otimizados e se tornam impressionantes, com o fator da qualidade de vida, sono e saúde serem aumentadas na rotina diária.

Teremos prazer em atendê-lo e marcar uma aula experimental para você conhecer nosso espaço e se deliciar nos prazeres da atividade física! Venha para a Omega4!

Conheça as Opções de Treinamento Funcional no Omega4:

A história do Método Pilates

Joseph Pilates, criador do método Pilates, teve experiências terríveis na infância, tendo doenças como asma, raquitismo e febre reumática. Por isso, ele sempre foi
uma criança que se exercitava, afim de melhoras as condições do próprio corpo e não se sentir preso a ele.  

Joseph sempre foi visto treinando de calção, pelo fato de possuir raquitismo e consequente deficiência em vitamina D, o que o deixou conhecido por esse estilo de roupa. Em seguida, Joseph Pilates começou a estudar de forma profunda as ciências biológicas do corpo humano, como a anatomia, a fisiologia, a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), física e biologia. Ele procurava ciências que mostravam tudo sobre o funcionamento do corpo humano de forma conjunta.  

Em 1912, o jovem Pilates se mudou para a Inglaterra, virou lutador de boxe em Londres e ensinou defesa pessoal para a polícia metropolitana de lá.  

Preso por ser alemão na Primeira Guerra Mundial, o jovem Pilates ensinou aos prisioneiros, inclusive os doentes, técnicas do próprio método para se exercitarem enquanto estavam isolados do resto do mundo.

Após ser libertado, lançou as técnicas que eram chamadas de Contrologia, referentes ao controle da mente sobre o corpo, nome que depois foi adaptado para Pilates. Em 1967, aos 83 anos, Joseph Pilates morreu por complicações em um incêndio dentro de seu estúdio, mas sua esposa continuou disseminando o método ao resto do mundo.

Solicitar mais informações
omega4omega4omega4
Endereço Omega4 Estúdio do Corpo
Unidade Paraíso: Rua Osório Duque Estrada, 35 -  São Paulo
11 2386-9717 | WhatsApp 11 94048-3704
Unidade Moema: Avenida Divino Salvador, 669 - São Paulo
11 98827-7152
contato@omega4.com.br