10 motivos do por que o treinamento funcional recupera lesões

10 motivos do porque o treinamento funcional recupera as lesões

O treinamento funcional quando corretamente aplicado fornece uma variedade de estímulos e benefícios adicionais, que as outras modalidades não conseguem atingir. Pois a maioria dos movimentos do cotidiano ou de gestos esportivos envolvem ações multiarticulares e multiplanares, exigindo padrões dinâmicos que necessitam transferência de forças entre as extremidades superiores e inferiores do corpo.

Então podemos dizer que treinamento funcional no geral serve para treinar o corpo nas funções para o qual ele é originalmente desenhado.

Para a reabilitação, serve para condicionar o paciente para retornar as suas atividades da vida diárias. Para o atleta, é uma estratégia de treino com foco no estímulo constante de padrões de movimento para o aprimoramento de sua performance. E para a pessoa dita “comum” envolve treinar o corpo para as atividades do seu dia a dia.

Estes exercícios devem ter uma progressão da intensidade para a evolução do treinamento funcional.

Deverão evoluir do lento para o rápido, do simples para o complexo, e do mais estável para o menos estável. Em relação à carga, seu aumento deverá ocorrer quando o exercício se tornar fácil ou ineficaz. Aí entra os princípios de treinamento que temos que respeitar: individualidade, sobrecarga, especificidade, variação, progressão, força.

O treinamento funcional, porém, vai além da beleza e se firma como mais do que um exercício. É um plano de qualidade de vida. O motivo é simples, não dá para ficar sentindo dor ao agachar-se para pegar o filho no colo, ou desconforto no tornozelo não pode ser desculpa para cancelar aquela caminhada diária.

E se a vontade e o prazer é correr atrás de um corpão, com foco no ganho de massa magra, isso também precisa ser feito com a segurança de que nada de errado acontecerá durante o percurso, como as tradicionais lesões em joelhos, ombros e lombares. O treinamento funcional veio para trazer de volta a qualidade do dia a dia dessas pessoas.

Você sofreu lesões por movimentos repetitivos durante a corrida de rua. Pretende largar sua aula de Treinamento Funcional com medo que as aulas possam piorar as lesões, mas será que é realmente necessário? Provavelmente não.

O Treinamento Funcional (TF) pode te ajudar a reabilitar e prevenir lesões. Essa é uma metodologia eficiente tanto na prevenção quanto na reabilitação de lesões. Você também aprenderá como utilizar exercícios funcionais na reabilitação e melhorar os movimentos

Uma lesão pode acontecer depois de fazer um movimento e exercício errado quanto durante um jogo ou uma atividade. Esse é um momento crucial onde as principais perguntas que rondam o lesionado é qual o grau da lesão e quanto tempo ficarei sem treinar.

É um momento triste, que precisa ser tratado com atenção, porém a notícia boa é que podemos através do Treinamento Funcional evitar ou recuperar as lesões.

Ninguém se move para proporcionar uma lesão intencionalmente. Na verdade, boa parte das pessoas morrem de medo de se lesionar. Mas pouquíssimos realizam um trabalho de prevenção eficiente.

Isso porque não são só os acidentes e traumas que causam o problema. Alguns fatores criam risco de lesões, especialmente quando existem movimentos repetitivos envolvidos. Podemos citar exemplos como:

1. Desequilíbrios musculares;

2. Compensações no movimento;

3. Padrões de movimento errado.

O principal objetivo do treinamento funcional é melhorar a execução dos movimentos. É natural que com o tempo ocorra um desgaste nas articulações. A melhor forma de prevenção a estes danos é exercitando os músculos. Além disso, outros fatores como maus hábitos posturais e sedentarismo também podem contribuir para o surgimento de lesões

Descubra 10 motivos pelos quais você deve fazer o seu treinamento funcional para recuperar lesões

1. A ajuda profissional na prática de uma atividade física é de extrema importância, pois garante sua segurança e ajuda você a obter sucesso mais rapidamente no local lesionado.

2. Um dos aliados das lesões é o treinamento funcional que trabalha não só a região atingida, como também o restante do corpo, focando no equilíbrio que pode ter sido consequência ou causa do problema, além da avaliação dos músculos para realizar o cálculo da melhor forma de tratar. Este programa recuperativo deve seguir uma série de fatores da atenção do profissional que irá lhe acompanhar para a prevenção necessária.

3. Uma das principais características do treinamento funcional é a força e exercícios com pulos e agachamento. Mas é preciso realizar uma avaliação da lesão e saber qual o tipo de movimento que pode ser realizado e qual evitado, para não acabar agravando o problema. O objetivo do treinamento funcional é, com sua alta carga, buscar os músculos que são mais desconhecidos e profundos e colocá-los em exercício, aliados com o trabalho nas articulações.

4. Os exercícios com o treinamento funcional não devem ser encarados em uma parte só do corpo, já que o local que foi lesionado não é o centro das atenções. Só é preciso lembrar que o tratamento que será realizado com o treinamento funcional envolve tanto o tecido articular, quanto o muscular. Não tem como se tratar um corpo que esteja em desequilíbrio, pois isso só pode ser uma solução que irá amenizar o problema por pouco tempo.

5. O treinamento funcional ajuda na recuperação e prevenção de lesões, com alguns movimentos básicos. Saibam quais são eles:

  • Afundo linear
  • Agachamento com a barra acima da tronco e da cabeça
  • Elevação de perna estendida
  • Estabilidade rotacional
  • Flexão do braço com estabilidade
  • Mobilidade dos ombros
  • Passo sobre a barreira

6. Muitos são os benefícios do treinamento funcional:

  • Aumenta a força muscular em lesões
  • Melhora o equilíbrio estático e dinâmico
  • Desenvolve condicionamento, resistência, força e agilidade
  • Desenvolve a percepção dos movimentos
  • Acelera o metabolismo e queima gordura
  • Correção da má postura e desequilíbrios musculares

7. O Treinamento funcional força o corpo a recuperar seu centro de gravidade constantemente e a melhorar sua estabilização muscular e tempo de reação

8. Através do Treinamento Funcional conseguimos ajudar o paciente a voltar da maneira mais rápida às suas atividades. Isso porque os exercícios funcionais utilizam uma variedade de estímulos benéficos à recuperação de lesões e sua prevenção.

9. Entre os exercícios funcionais devemos destacar que eles precisam dar forças as musculaturas e também melhorar o controle motor. Consegue fazer isso tudo ao mesmo tempo se usarmos Treinamento Funcional.

10. Usamos exercícios com movimento que ajuda a proteger a área lesionada para que seu quadro não piore. Portanto, alguns trabalhos de fortalecimento serão indicados nessa fase de acordo com o caso, o funcional tem tudo que um aluno lesionado precisa para voltar à sua vida normal.

O Treinamento Funcional nos traz todas as características necessárias para um trabalho de prevenção e tratamento. Quer outro motivo? Seus exercícios possuem grande foco no Core, assim como o Pilates. Dessa maneira o corpo mantém-se estabilizado e com uma boa base. Muitas das lesões encontradas tiveram origem numa falta de estabilidade das articulações afetadas. Essa característica é a habilidade da articulação de voltar à seu estado original depois de sofrer perturbação no movimento.

Após uma lesão trabalhos que incluam todas essas habilidades acima serão um diferencial para o retorno rápido e eficiente às atividades rotineiras. Podemos ver que o treinamento Funcional não só é uma ótima modalidade para quem quer prevenção, mas também para reabilitação. Lembra que corrigir desequilíbrios musculares é um dos primeiros passos para evitar uma lesão? E esse também está entre as exigências para conseguir reabilitar seu aluno.

Você conhece a história do Treinamento Funcional?

O quão funcional é o corpo do ser humano é uma habilidade testada diariamente, desde as sociedades antigas, onde isso era questão de sobrevivência. Segundo a linha histórica, na Grécia Antiga, nos jogos olímpicos, os gregos desenvolveram aparelhos e equipamentos, além de métodos que auxiliavam no treino dos atletas para uma superação e obtenção dos resultados maior. Em seguida, essa prática também foi aplicada na Roma Antiga, entre os gladiadores.

Hoje em dia, o Treinamento Funcional mantém a sua essência como um treinamento físico que trabalha o corpo de forma dinâmica, tendo como conceito base a melhoria da aptidão física relacionada para com a saúde, além da prevenção da lesão do músculo esquelético como um todo.

Além de tudo, o treinamento funcional tem como característica realizar a igualdade de habilidades biomotoras fundamentais do ser humano, para uma maior produção de movimentos mais eficientes, e a melhoria de rendimento em atividades produtivas do dia a dia, como o trabalho ou estudo do indivíduo.

Paul Chek foi o responsável por desenvolver um método de treinamento funcional focado nos movimentos fundamentais e naturais do corpo humano na época do homem primitivo, e que também são executados na rotina diária do homem moderno, utilizando movimentos como correr, agachar, abaixar, puxar, empurrar, levantar, girar, etc.

Algumas linhas de métodos do treinamento funcional discorrem sobre o treinamento com instabilidade física, ou seja, movimentos rápidos e bruscos, junto ao treinamento do core, que é o centro de força do corpo, formado pelos músculos do abdômen e próximos a coluna vertebral.

O treinamento do core, ou centro de força do corpo, como o treinamento de habilidades que visa melhorar a capacidade de controlar a posição e o movimento do tronco sobre a pelve e as pernas para permitir uma boa ou ótima produção, transferência e controle da força e movimento para o segmento distal, numa cadeia que possui atividades integradas.

Dessa forma, o resultado é um produto do controle motor e da capacidade muscular do complexo lombo-pelve-quadril com uma estabilidade muito melhorada.

O treinamento funcional, hoje, está no topo das atividades físicas modernas e inovadoras pelos profissionais envolvidos com qualidade de vida e resultados que são duradouros na vida dos pacientes. O treinamento é focado na vida de cada um dos pacientes, com bases históricas nos exercícios realizados na Grécia e Roma Antiga.

Na mitologia grega, os gregos se inspiravam e observavam a importância de certos desafios para os treinamentos com a obra “Os doze trabalhos de Hércules”, que eram a inspiração dos atletas e soldados gregos para manter o corpo alinhado com a mente avançada que a Grécia possuía.

No final dos anos 90, temos o início do treinamento funcional em São Paulo, localizado em uma academia onde o público alvo era focado para lutas, que depois acabou por expandir-se para os demais alunos. Também no final da década de 90, o método Pilates se firmava como uma nova forma – e inovadora – de atividade física em São Paulo. Algum tempo depois, ou seja, no começo dos anos 2000, surge uma versão de metodologia chamada ballness (que foi apresentado no fitness Brasil), onde os exercícios de Pilates eram aplicados utilizando o equipamento “bola suíça”.

Em 2004, é lançado o Treinamento Funcional Resistido, que marca a história do Treinamento Funcional no Brasil sendo o primeiro livro sobre treinamento funcional escrito por autores brasileiros.

Nele, temos os professores Maurício de Arruda Campos, além do Bruno Couraucci Neto, que apresentam uma versão de atividade física ligada a capacidade motora e funcional do dia a dia, que alinha o corpo e a mente e ainda possui uma característica fortíssima de reabilitação, fazendo o uso quase excessivo de exercícios integrados e seguindo a linha encontrada em artigos científicos.

No Brasil, existem sempre divergências sobre quais atividades são ou não funcionais para quem pratica o treinamento. Atualmente, existem métodos e meios semelhantes, mas que divergem em questão de origem e por isso geram especulações e conflitos nas informações e ensinamentos.

Logo, podemos concluir que, no Brasil, existem três linhas metodológicas de treinamento funcional, dentre elas tendo uma mais voltada a especificidade esportiva, outra que é originada da unificação entre Pilates e Treinamento Funcional, focada no Power House (ou seja, o core, centro de força do corpo), e por último a visão dos exercícios integrados de uso quase excessivo que melhoram as capacidades funcionais, motoras, cognitivas e mentais do indivíduo atleta.

Cabe ao seu personal estudar os métodos de treino e saber qual das três linhas é a mais adequada para você. Venha nos conhecer na Omega4, o melhor Treinamento Funcional do Paraíso e Jardins!

Saiba Mais: Massagem Desportiva - O ideal para um atleta

Como é o Treinamento Funcional na Omega4?

A Omega4 Estúdio do Corpo, localizada entre os bairros Paraíso e Jardins, possui profissionais extremamente qualificados e que buscam a metodologia de ensino adequado para cada indivíduo que procura treinar conosco.

Os nossos profissionais estudam a história e os melhores métodos para se ensinar o treinamento funcional no Brasil, agregados a uma ótima infraestrutura e localização do espaço que o Estúdio possui.

Além de tudo, a recuperação e o condicionamento físico que os pacientes deste treinamento ganham é impressionante, com um resultado maravilhoso, após as batalhas e treinamentos consecutivos durante a semana.

Alternando exercícios rígidos, que envolvem velocidade, reflexos e movimentos bruscos com exercícios mais leves, que conscientizam o paciente do exercício feito, além de treinar a resistência e flexibilidade, os resultados são otimizados e se tornam impressionantes, com o fator da qualidade de vida, sono e saúde serem aumentadas na rotina diária.

Teremos prazer em atendê-lo e marcar uma aula experimental para você conhecer nosso espaço e se deliciar nos prazeres da atividade física! Venha para a Omega4!

Conheça as Opções de Treinamento Funcional no Omega4:

Solicitar mais informações
omega4omega4omega4
Endereço Omega4 Estúdio do Corpo
Unidade Paraíso: Rua Osório Duque Estrada, 35 -  São Paulo
11 2386-9717 | WhatsApp 11 94048-3704
Unidade Moema: Avenida Divino Salvador, 669 - São Paulo
11 98827-7152
contato@omega4.com.br