Treinamento Funcional para prevenção da osteoporose

Treinamento Funcional para osteoporose

A osteoporose é uma doença que atinge pessoas mais velhas e geralmente tem maior incidência em mulheres, os ossos ficam finos, sensíveis, ocos e suscetíveis a fraturas, mas como toda regra tem sua exceção, há pessoas que desenvolvem a doença sem fazer parte desse grupo de risco.

O esqueleto é o arcabouço de sustentação do corpo humano e são formados por 200 ossos, além da sustentação, os ossos dão: Rigidez e Forma ao Corpo Protegem o Cérebro, Protegem o Coração, Protegem os Pulmões e outros Órgãos Vitais.

A osteoporose afeta não só idosos, mas também, adultos, adolescentes e crianças. Portanto, não deve ser considerada como um processo normal de envelhecimento, por isso foi considerada em 1994, pela OMS (Organização Mundial de Saúde), como doença.

Quando eles se enfraquecem devido à perda de sua massa ocorre uma doença chamada osteoporose.

A osteoporose é reconhecida como um dos mais importantes problemas de saúde pública comprometendo a qualidade de vida é considerado o segundo maior problema de saúde mundial, ficando atrás apenas das doenças cardiovasculares.

Os idosos, tanto homens como mulheres, são afetados por essa doença, mas as mulheres na fase pós-menopausa são as mais afetadas devido à baixa dos hormônios nessa fase.

O Treinamento Funcional para osteoporose é personalizado e individual

Muitos estudos revelam que os exercícios físicos estimulam o aumento de massa óssea no corpo, sendo considerados tão importantes quanto à ingestão de fontes de cálcio, além do ganho de mais massa óssea, o Treinamento Funcional para osteoporose preserva o equilíbrio e aumenta à força e a massa muscular, no combate a doença, é necessária uma combinação de tratamentos que inclui nutrição, medicina, exercícios físicos e alterações nos hábitos de vida.

Indicado não só para quem tem osteoporose, o Treinamento Funcional para Osteoporose pode ser realizado por qualquer pessoa, inclusive crianças e idosos, com a perspectiva de resultados satisfatórios, e além do fortalecimento dos ossos e do ganho de massa óssea, o praticante desenvolve o controle corporal, melhora da postura, o equilíbrio muscular, diminui a incidência de lesão, melhora do desempenho atlético, ganha estabilidade da coluna vertebral e das articulações, aumenta a eficiência dos movimentos.

E se a pessoa já tem osteoporose, a atividade física ajudará na manutenção da massa óssea ainda existente e até mesmo poderá levar a um ganho da mesma, tudo dependerá das possibilidades individuais do portador para a prática do treinamento funcional para osteoporose, a prática de exercícios ajuda na qualidade de vida da pessoa osteoporótica, assim como outras formas de prevenção incluindo: uma boa alimentação, banhos de sol diários, cuidados com a saúde em geral.

Os exercícios contribuem para a prevenção da osteoporose, porque a força biomecânica que os músculos exercem sobre os ossos é capaz de aumentar a densidade mineral óssea, assim, exercícios com ação da gravidade parecem desempenhar importante papel no aumento e na preservação da massa óssea, e também, o exercício físico regular pode ajudar a prevenir as quedas que ocorrem devido a alterações do equilíbrio e diminuição de força muscular.

Dessa forma, com suporte de peso mesmo que o peso seja o do próprio corpo, tais como: Caminhadas, Exercícios Aeróbicos Com Impacto Como a Corrida, Exercícios Resistidos Como Musculação, Ginástica Localizada, Pilates, Dentre Outros.

Para o idoso, atividade física com peso por 30 minutos por dia, três vezes por semana, é suficiente para aumentar o conteúdo mineral, e melhor ainda, o exercício não precisa ser exaustivo, isso já ajuda a manter a saúde dos ossos.

O treinamento funcional para osteoporose é um complemento no tratamento da osteoporose, ele não só ajuda a atenuar a progressão da doença (atenua a perda óssea) como também consegue aumentar a massa óssea.

A prática do treinamento funcional para osteoporose tem os seguintes objetivos >Promover o Equilíbrio, Aumentar a Força Muscular, Melhorar a Coordenação, Diminuir as Dores Provocadas Pela Doença, Melhorar a Postura.

Quanto mais variados os tipos de exercícios melhor!  Mas, desde que eles sejam adequados.

Os exercícios ideais para praticar são os de baixo ou nenhum impacto, pois não sobrecarregam as articulações nem a coluna como um todo, e exercícios com carga, para promover a estimulação da massa óssea, A intensidade deve ser superior àquela imposta pelas atividades da vida diária.

Atividade Aeróbica de Baixo Impacto (Dança, Caminhada, Jogging) melhora a condição física em geral do portador de osteoporose, melhora a coordenação, aumenta a força muscular.

O treinamento funcional para osteoporose, Ginástica Localizada, Musculação, Pilates, aumentam a massa muscular e óssea, são os mais indicados para os portadores de osteoporose trazendo fortalecimento nos ossos.

Alguns alunos que chegam para a prática de exercícios funcionais podem ter fragilidade óssea ou fatores de risco que leve ela a não saberem por não terem feito nenhum exame.

Portanto, avaliar o aluno é primordial antes de qualquer treinamento funcional e deve-se atentar para fatores de risco como > Menopausa, Envelhecimento, Hereditariedade, Dieta Pobre em Cálcio, Uso Excessivo de Cigarro e Álcool, Imobilização Prolongada, uso de Medicamentos como os Corticoides por tempo prolongado, o treinamento funcional devem ser mantidos por tempo indefinido, Pois se cessar o estímulo dos exercícios os ganhos obtidos com eles são perdidos,

Os Exercícios com carga são mais eficazes para aumentar a densidade mineral óssea (DMO) adaptar treinamento funcional para osteoporose sem oferecer risco de fraturas, portanto é necessário conhecer muito bem a doença e o estágio que o aluno se encontra, por consequência da osteoporose a cabeça tende a ficar em uma posição mais protusa, ter cautela para a correção, usar calçados adequados, que absorvam o impacto.

Caminhar ao sol antes das 10h e após as 16h em terreno não acidentado e com um bom calçado, vinte minutos de caminhada diária já trazem benefícios e fortalecimento para a massa óssea.

Estudos mostraram que exercícios de flexão de coluna como os abdominais convencionais levam a um risco de fratura das vértebras da coluna em 90%, sendo contraindicados para pessoas com osteoporose.

A osteoporose é uma doença que requer uma adaptação a um novo estilo de vida, quando instalada não há como reverter, portanto, a melhor estratégia é sua prevenção, conhecer os fatores de risco e a densidade óssea nos ajuda nessa prevenção, principalmente, ficar longe do sedentarismo sabendo dos efeitos positivos do treinamento funcional da osteoporose sobre a massa óssea.

O treinamento funcional com pesos proporciona um grande auxílio no combate à osteoporose. A grande maioria dos médicos recomenda a musculação como o maior contribuinte para a regeneração da massa óssea.

Entretanto, qualquer método de condicionamento físico que envolva força muscular, seja ela realizada através de aparelhos, barras, halteres, elásticos, o próprio corpo como sobrecarga ou qualquer outro acessório que proporcione um trabalho de força juntamente com atividades e exercícios que tenham um pouco de impacto, estimulará a produção de osteoblastos que são as células responsáveis pela formação e regeneração dos ossos, isso é mais do que claro em qualquer evidência científica.

O treinamento funcional para osteoporose prioriza substancialmente a capacidade humana de se movimentar, além de trabalhar e desenvolver a força muscular das mais variadas formas. Além do mais, o treinamento funcional é uma junção de diversos métodos de condicionamento, portanto é uma das alternativas mais interessantes para o aprimoramento e recuperação da saúde dos ossos.

O segmento populacional que mais cresce é o de pessoas com 85 anos ou mais, com as pessoas vivendo mais, é preciso determinar como o treinamento funcional de osteoporose entre outras atividade pode contribuir para a melhora da saúde, capacidade funcional, qualidade de vida e independência nesta população.

Por ser um método de condicionamento que trabalha todas as capacidades físicas, força, equilíbrio, resistência, coordenação, velocidade e flexibilidade o treinamento funcional para osteoporose aparece como uma das alternativas mais eficientes para se trabalhar com a população idosa.

Sempre que os fatores de risco estiverem presentes, quanto mais deles maior o risco de fragilidade óssea, deveremos prescrever um treinamento físico adaptado e caprichar nos cuidados com esse aluno.

Além do mais, a prática regular do treinamento funcional para osteoporose fornece vários benefícios psicológicos relacionados à preservação das funções cognitivas, melhora dos sintomas de depressão e comportamento, e um aumento no conceito de controle pessoal, capacidade funcional, independência física e auto eficácia, resultando, assim, numa elevação da autoestima e do bem-estar, o treinamento de força é uma das modalidades mais praticadas atualmente, por pessoas de diferentes faixas etárias, de ambos os sexos, esse fato pode ser facilmente explicado pelos inúmeros benefícios decorrentes do funcional para osteoporose, que incluem a prevenção da osteoporose consiste que tais funcionais feitos frequentemente favorecem a formação de massa óssea resistente e diminui as possíveis descalcificações dos ossos.

Dessa forma, o ideal seria que o treinamento físico para populações de risco para osteoporose começasse com o funcional para osteoporose leves e lentos, respeitando o tempo necessário de adaptação neural e musculoesquelética, e evitando lesões, contudo, na medida em que os praticantes forem adquirindo um condicionamento físico de base, um trabalho de potência muscular (força + velocidade) deverá ser proposto.

Assim, exercícios como caminhada vigorosa, trote, saltos, todos se realizados em uma intensidade acima do habitual para aquele indivíduo, podem contribuir não somente para manter, mas também para melhorar a massa óssea, outros cuidados seriam fazer exercícios abdominais sem as flexões de coluna, para tanto o indivíduo estaria deitado em decúbito dorsal realizando os diversos tipos de abdominais “infra”, com semiflexões de quadril e coluna alinhada.

No treinamento funcional para osteoporose os exercícios como musculação, pilates, e corrida previnem e tratam a doença que atinge os ossos.

Pilates é um grande aliado para pacientes que sofrem com diminuição da função, com dores nas articulações e que necessitam de um fortalecimento global da musculatura. Através dos exercícios do pilates, utilizando a resistência das molas, é possível frear diminuição da massa óssea, proporcionando um fortalecimento muscular, realinhamento postural e também a manutenção da amplitude de movimento das articulações.

Atualmente, o exercício físico vem sendo utilizado no tratamento e na prevenção da osteoporose, e para que seja empregado da melhor forma, é necessário que o profissional tenha um conhecimento apurado sobre o efeito desse tipo de atividade na composição óssea dos idosos, pois eles podem apresentar ossos frágeis, o que pode levar (dependendo do tipo de exercício) ao risco de fratura.

Os exercícios mais estudados na literatura científica referente ao tratamento da osteoporose foram os de extensão isométrica de tronco (realizados em posição antigravitacional), exercícios em cadeia cinética aberta, corridas, caminhadas e exercícios de equilíbrio e coordenação.

Esses exercícios apresentaram benefícios múltiplos, como a diminuição da perda óssea, fortalecimento muscular, além da melhoria do equilíbrio, prevenindo assim futuras complicações causadas por quedas.

Os exercícios de extensão isométrica de tronco, quando realizados em posição antigravitacional, são eficientes para a diminuição do risco de fraturas vertebrais, pois melhoram a densidade mineral óssea das vértebras e fortalece a musculatura da região posterior do corpo, fato este que é muito importante, pois entre os idosos portadores de osteoporose há uma grande incidência de fraturas na região vertebral; sendo assim, esse tipo de exercício pode então prevenir possíveis fraturas no idoso osteoporótico.

Os exercícios em cadeia cinética aberta atuam no fortalecimento dos músculos da coxa, são eficientes para a prevenção de fraturas, principalmente do colo femoral, e também ajudam a melhorar o condicionamento físico, elevando a qualidade de vida e fortalecendo a musculatura da região exercitada.

Os exercícios aeróbios também possuem efeitos eficientes na prevenção da osteoporose, quando combinados com exercícios de força, de alta resistência e complementados com a ingestão de cálcio e vitamina D. Quando são praticados sem combinação e de forma regular, não apresentam eficiência na prevenção da perda da massa óssea. Dessa forma, é importante ressaltar que, apesar dos exercícios aeróbios serem considerados pouco eficientes pela literatura científica, por não demonstrarem um aumento significativo da massa magra, não é possível avaliar esse tipo de exercício como uma modalidade terapêutica contraindicada, e sim uma modalidade que não deve ser empregada de maneira isolada na prevenção e tratamento da osteoporose.

A partir dos dados obtidos neste texto podemos concluir que o exercício físico é dado como fator importante tanto na prevenção quanto no tratamento da osteoporose. A maioria dos estudos apresentou temática voltada à prevenção, o que mostra a ênfase dada pela comunidade científica para evitar a osteoporose. Foi possível verificar que os exercícios possuem especificidades, dependendo do objetivo com que são empregados, pois, como visto no corpo do trabalho, os exercícios utilizados no tratamento da osteoporose foram caracterizados como de baixa e média intensidade, uma vez que os ossos do idoso acometido pela osteoporose podem ser fraturados se empregados exercícios intensos e que produzam grandes impactos.

Ainda há controvérsias a respeito de qual modalidade, intensidade e frequência de exercícios são mais indicadas a pacientes com osteoporose. Atualmente estão sendo realizadas pesquisas com diferentes protocolos, visando esclarecer, dissipar as dúvidas.

Como vimos, a osteoporose é uma doença do metabolismo ósseo, a osteoporose nos desafia a aprender mais sobre a doença com o objetivo de nos proteger e também àqueles sob os nossos cuidados, o treinamento funcional para osteoporose pode modificar a vida deste grupo de risco e tantas outras pessoas mais jovens q também sofre do mesmo problema e ficar longe do sedentarismo sabendo dos efeitos positivos do treinamento funcional no físico e sobre a massa óssea.

Solicitar mais informações
omega4omega4omega4
Endereço Omega4 Estúdio do Corpo
Unidade Paraíso: Rua Osório Duque Estrada, 35 -  São Paulo
11 2386-9717 | WhatsApp 11 94048-3704
Unidade Moema: Avenida Divino Salvador, 669 - São Paulo
11 98827-7152
contato@omega4.com.br