4 coisas que você precisa saber sobre o Pilates!

4 coisas que você precisa saber sobre o Pilates!

O método Pilates é uma das atividades físicas preferidas dos praticantes, não possuindo contraindicações absolutas, além de poder ser praticado por qualquer pessoa e em todas as idades, o que possibilita a melhora da composição corporal, respiratória e até mesmo na reabilitação física. Ele também pode ajudar em problemas psicológicos, estresse, osteoporose e até mesmo na lombalgia!

Neste conteúdo, você irá ver um breve resumo do Pilates como tratamento (seja ele direto ou auxiliar) a 4 problemas principais:

O Pilates como tratamento auxiliar para o estresse

A atividade física é altamente recomendada para quem quer combater o estresse.

O Pilates além de ser uma atividade física é muito recomendado para quem sofre, ou quem quer evitar, o estresse patológico, pois trabalha todos os músculos do corpo.

O Método exige a prática consciente e completa da respiração durante a execução de todos os exercícios.

Além disso, uma respiração lenta e profunda reduz significativamente os níveis de cortisol, o hormônio do estresse, no sangue ao longo do tempo.

Por incorporar algumas técnicas da Yoga, que é uma técnica indiana de exercitar o corpo e relaxar a mente, traz um equilíbrio mental excepcional aos praticantes.

No Pilates você aprende a mover-se usando apenas os músculos necessários para a realização de um determinado movimento, o que proporciona maior economia de movimentos, facilita a fluidez, o controle e a precisão de movimentos, e assim proporciona a redução do estresse.

A concentração que o Método exige durante sua prática, elimina a tendência de vaguear a mente por assuntos diversos que não nos ocupam aqui e agora.

Sobre o problema do estresse

Segundo a International Stress Management Association (Associação Internacional do Controle do Estresse) o Brasil é o segundo país com o maior número de pessoas com o estresse elevado.

O estresse é o estado de alerta do organismo. Na dose certa ele faz bem, pois auxilia o ser humano, deixando o cérebro ativo e estimulado o que nos torna mais produtivos.

Porém quando o estresse se prolonga é que surge o problema, pois há um aumento acima do normal de cortisol.

O cortisol é o hormônio do estresse, e quando produzido dentro do normal mantém o funcionamento do organismo equilibrado.

Quando sua produção está além dos limites normal o corpo percebe como se não pudesse mais descansar. É como se não houvesse diferença entre o dia e a noite e o estado de alerta fosse constante. Persistindo esse quadro aumenta os riscos de fadiga crônica, depressão, insônia, AVC, obesidade, infarto, entre outros…
O limite do estresse difere de pessoa para pessoa, por isso é muito importante conhecer seus limites. Existem pessoas que aguentam uma sobrecarga exagerada sem nenhum problema, enquanto outras desabam no menor obstáculo ou frustração.

Tratamento da patologia osteoporose a partir do método Pilates

O tratamento em si, a partir do método Pilates, depende também de um fator que não tem muito a ver com o treinamento físico: os hábitos saudáveis. Além disso, a prática de exercícios físicos frequentes como o Pilates é essencial para que se possa alcançar o pico de densidade óssea, o que ajuda muito no tratamento da osteoporose. A soma de alimentação boa com o método Pilates pode ajudar de forma extrema no tratamento dessa patologia. A alimentação balanceada é um fator de extrema importância, principalmente quando estamos falando da ingestão de alimentos ricos em cálcio, numa quantidade de cerca de 1000mg a 1300mg por dia, o que equivale a cerca de três porções de leite e derivados, como iogurte e qualquer tipo de queijos.

Tomar sol pela manhã e final da tarde também é fundamental, devido à produção de vitamina D, pode fazer diferença na produção dessa vitamina que pode ser encontrada também em alimentos e suplementos, seu déficit é avaliado através de um exame de sangue.  

A prática de atividade física tem como finalidade deixar os ossos mais fortes, ajudando a melhorar o desempenho e o funcionamento de todo o corpo.

Com o Pilates, não é diferente, devido a oferecer exercícios variados, respeitando às particularidades, necessidades e capacidades e limites de cada aluno, com isso, não há desgaste físico, nem estímulo à fadiga.

Quanto as fraturas em geral ocorrem por quedas, deve-se usar calçados com sola de borracha;  procurar apoio de bengala, quando for preciso melhorar a estabilidade da marcha; tomar cuidado com pisos e calçados escorregadios; evitar andar de meias; usar barras de apoio e tapetes de borracha, no banheiro; utilizar pequenas luzes de orientação para auxiliar a locomoção, dentro de casa, evitar tapetes e outros objetos que proporcionem tropeços; aqui falando em casos de idosos, fraturas anteriores e osteoporose muitas vezes avançada recém descoberta e também dos hábitos do paciente.

Com a orientação adequada para se evitar os hábitos acima e seguindo a orientação do seu instrutor, praticando atividade física de maneira correta no caso aqui citado o Pilates, há uma melhora na qualidade de vida e na convivência com a osteoporose, ou também uma prevenção a riscos futuros.

Mais sobre a patologia osteoporose

Os sintomas da osteoporose caracterizam-se pela diminuição da massa e, consecutivamente, densidade óssea, desenvolvendo ossos ocos e finos, de extrema sensibilidade, tornando os muito propensos a fraturas, sejam elas casos mais simples ou agudos e graves, como uma fratura exposta.

Os nossos ossos promovem a sustentação de toda a estrutura do corpo, e são fonte de cálcio extremamente necessária para a execução de diversas funções no mesmo, desde os batimentos cardíacos saudáveis até a força muscular. A estrutura óssea é uma estrutura que sempre se renova diante de todos os períodos temporais do corpo, e isso acontece em todo o esqueleto corporal durante toda a vida do enfermo.

Dentre os locais mais atingidos pela osteoporose, temos as vértebras, o fêmur, o quadril, o punho e o braço. O tipo de osteoporose mais perigosa é a que se localiza no colo do fêmur. O fato dela habitar essas estruturas se dá pelo alto índice de desgaste das mesmas de acordo com o tempo e os movimentos, haja visto que essas são estruturas que suportam muito peso e força que os movimentos do dia a dia podem causar.

Entre os principais sintomas da patologia osteoporose, temos a dor crônica, as deformidades ósseas que essa doença pode causar, o encolhimento ósseo, as possíveis fraturas vertebrais, que podem levar a problemas gastrointestinais e respiratórios, e, por último, a perca da qualidade de vida e bem estar, que podem levar a outros problemas de saúde e inclusive psicológicos.

Sendo assim, é importante atentar-se aos sintomas e aos fatores de risco, aqui descritos ,pois, você o aluno pode estar com osteoporose e confundi-la com outras patologias, ou até somente com um quadro álgico muitas vezes comum e sem importância, que pode levar à fraturas e limitações.

Os exames utilizados hoje em dia para o diagnóstico, é a densitometria óssea que avalia mudanças na massa óssea com o tempo, junto com a história da moléstia atual e pregressa do paciente e mais a associação com fatores de risco.

Classificando a osteoporose, existem três tipos possíveis:

  • A pós menopausa: atinge mulheres pós menopausa,como o próprio nome já diz, sendo mais frequente fraturas na região da coluna.
  • A senil: com a faixa etária acima dos 70 anos,com fraturas mais frequentes na coluna e no quadril.
  • A secundária: essa atinge pessoas que usam alguns medicamentos como por exemplo, os corticóides, e pessoas com doença renal hepática, endócrina ou hematológica.

Dado as especificações, sintomas e aprofundamento sobre a doença/patologia osteoporose, iremos, abaixo, descrever o tratamento da osteoporose a partir do método Pilates.

Método Pilates para dor na coluna

O método Pilates, método criado e aprofundado por Joseph Pilates, pode ser um ótimo aliado para a dor na coluna. Você sabia disso?

Esse fato se deve pois o Pilates tem a capacidade de, além de trabalhar todos os músculos do corpo, a capacidade cognitiva e motora do aluno, causar também um alongamento especial da coluna, o que possibilita um relaxamento profundo e instantâneo que leva ao aluno, ou paciente, perceber as melhoras relacionadas com as dores nas costas, graças ao fortalecimento muscular que o Pilates traz nessa região.

O Pilates é um método de atividade física intensa, desenvolvido no século 20, aos redores da década de 20, que tem como principal objetivo um conceito chamado de Contrologia. O conceito da contrologia nada mais é que um controle consciente e fundamental de todos os movimentos musculares do corpo, e também da respiração.

A partir desse controle corporal, temos benefícios diversos provenientes do fortalecimento muscular, do alongamento, do equilíbrio, e também da consciência respiratória, o que traz ao paciente muito mais foco em qualquer realização, principalmente em atividades físicas. Como resultado dessa combinação extraordinária, temos um ótimo combatente contra as dores MUITO COMUNS na coluna: o método Pilates.

Mas, para entender muito mais como o Pilates pode ajudar com suas técnicas de fortalecimento muscular, primeiro, devemos nos aprofundar mais sobre as dores na coluna (sendo elas torácica, cervical ou lombar).

Aprofundando sobre as dores na coluna (torácica, cervical ou lombar)

A dor na coluna, infelizmente, se tornou extremamente comum. Os trabalhos em escritórios com longos e cansativos períodos sentados tornam os músculos que ficam na região lombar, torácica e cervical mais fracos em comparação aos que realizam um trabalho mais braçal. Isso acabou por se tornar um mal da sociedade moderna, afetando, principalmente, o bem-estar do cidadão.

Longos períodos sentados geram vícios posturais, e, aliados com a fraqueza muscular e patologias comuns no dia a dia, formamos um grupo de principais fatores que intervém para que a ocorrência alta de dores lombares, cervicais ou torácicas aconteça.

A prática de exercícios físicos como o Pilates, ou até mesmo o Treinamento Funcional, além de terapias ou massagens estão sendo extremamente indicadas como forma de intervir nessas dores, melhorando significativamente a síndrome. O Pilates pode ajudar muito em casos como a fibromialgia, dores lombares, e até mesmo na reabilitação física. Dessa forma, torna-se necessário determinar quais tipos de exercícios são mais aconselhados para a melhora nos sintomas da dor de coluna.

Sobre a dor cervical, é estimado que tenhamos pelo menos 70% da população mundial atual possua esse tipo de dor ao longo da vida. É um número extremamente preocupante, o que indica que a saúde do nosso corpo e de uma das principais estruturas, a coluna cervical e os músculos que a envolvem, estão em queda de qualidade graças ao estilo de vida.

A dor cervical, ou dor no pescoço, tem como sintoma a tensão da musculatura localizada na região do pescoço, podendo ser irradiada para dores na mandíbula, nos ombros e até mesmo nos braços.

Ela normalmente é causada pela má postura, ou vícios posturais, enfraquecimento muscular (na região do pescoço), hérnia cervical ou o excesso de carga, ou a famosa sobrecarga, nos ombros (como mochilas e bolsas pesadas).

Anatomicamente, a coluna cervical é formada por 7 vértebras, com a musculatura envolvendo o pescoço possibilitando movimentos como rotações e giros, flexões e extensões da cabeça. Quando é o caso de dor, ela limita e muito esse tipo de movimento.

Já sobre a dor torácica, temos o fato de que a principal região afetada é a região das escápulas (asinhas das costas), ou logo abaixo das escápulas, na região entre elas e a coluna lombar. É um tipo de desconforto extremamente significativo, causando uma leve queimadura nas costas, representando a fadiga e o cansaço físico também.

Esse tipo de dor pode ser causado pela má postura, pelos discos vertebrais fracos, ou a famosa hérnia, passar muito tempo na mesma posição, seja sentado, em pé, ou até mesmo deitado. O excesso de peso carregado, ou sobrecarga, nos ombros e a falta de exercícios físicos que sejam especializados nessa região muscular também podem causar a dor torácica.

Anatomicamente, a coluna torácica é formada por 12 vértebras, e tem como principal função a sustentação e a estabilização do corpo. Sem ela, não seríamos capazes de andar em linha reta ou apenas andar. Ela realiza esse movimento de flexão e extensão da região torácica, além da inclinação lateral que é nos permitida fazer. Os grupos de músculos envolvidos com essa estrutura também são os da região torácica, fortalecendo e estruturando cada movimento que envolva o tronco do nosso corpo.

Por último e não menos importante, a dor lombar afeta e muito uma grande parte da população mundial hoje em dia. Um dos males da sociedade pós moderna, a dor torácica se apresenta de forma frequente para os estagiários, CEOs, e todos os cargos que envolvam ficar muito tempo sentado numa cadeira em frente a um computador, ou coisa do tipo. A dor lombar é reconhecida quando o indivíduo é afetado pelo sintoma da breve queimação na região central ou lateral da lombar, e, em casos um pouco mais sérios, a dor é irradiada também para os glúteos, dificultando o movimento de levantar e sentar de forma severa. Em casos mais graves ainda, como a hérnia, a dor acaba irradiando para a coxa ou posterior da coxa, descendo pela perna, traçando o caminho do nervo ciático.

A dor lombar pode ser causada pela má postura, pela falta de fortalecimento dos músculos anteriores a lombar como o transverso do abdômen, ficar muito tempo na mesma posição, pegar sobrecarga nos ombros, ou excesso de peso nos braços e doenças vertebrais (como a hérnia, desvios posturais, ou acidentes que envolvam essa região).

O Pilates possui a capacidade de ajudar no fortalecimento de todos os músculos do corpo, o que elimina uma boa parte da possibilidade da existência dessas dores no corpo de um aluno que frequenta o estúdio de Pilates.

Benefícios do método Pilates para o combate contra as dores na lombar

O método Pilates é uma forma de tratamento da lombalgia com demasiados estudos que revelam a sua efetividade. E seus exercícios são adaptáveis para cada indivíduo na sua especificidade, respeitando a amplitude de cada movimento e livres de dor na sua execução. Ressaltando, que todo tratamento deve ser orientado por um profissional da área da sáude, assim evitando lesões e maiores dores.

É um tratamento terapêutico onde os exercícios tem a junção de práticas de força e flexibilidade com o propósito de manutenção e melhoria do equilíbrio muscular, assim desenvolvendo a estabilidade da região da lombar.

Além de propor o fortalecimento das áreas abdominais, com exercícios de poucas repetições porém realizados com muita concentração. Pois assim, reduz as dores na lombar e os músculos da região e do corpo são fortalecidos e preparados. Sendo assim possível manter a coluna devidamente alinhada, suportando e redistribuindo as pressões colocadas sobre ela. Porque a dor na lombar está principalmente condicionada a à incapacidade de estabilizar a coluna, a falta de controle dos músculos do tronco, e o transverso do abdômen.

A boa flexibilidade na coluna e na musculatura isquiotibial adquirida com a pratica do método Pilates, caracteriza-se com a menor incidência de dores lombares crônicas, devido as restrições musculares – sem a boa flexibilidade – que podem causar lesões musculoesqueléticas vindo a repercutir na rotina e na vida.

Categorização da lombalgia

A lombalgia pode ser classificada de acordo a duração. Pode ser definida como crônica (duração maior que 12 semanas), subaguda (duração de 6 a 12 semanas), aguda (inicio repentino e período de ocorrência menor que 6 semanas) e a recorrente (reaparece após alguns períodos de calmaria).

Também podendo ser determinada como:

Especifica, quando for devido à alguma patologia, podem estar associadas, ou não, à dores ciáticas (lombociatalgia) que são as dores irradiadas para glúteo, coxa, perna e/ou pé e entre outras.

Já a lombalgia mais comum: a lombalgia inespecífica, representa a grande parte da dor referida por toda a população. Ela é chamada de inespecífica, pois não está claro o que realmente está causando a dor, podemos dizer que não há nenhuma patologia específica que possa ser identificada como a causa da dor.

Esse tipo de lombalgia define-se pela ausência de alteração estrutural, o sistema apenas está sobrecarregado, ou seja, não tem redução do espaço do disco, lesão óssea ou articular, compressão das raízes nervosas, escoliose que possam levar a dor na lombar.

Essas ocorrências estão especificamente relacionadas à sobrecarga e esforços que geram contraturas, distensão e inflamação local. A flacidez muscular e a falta de condicionamento físico podem gerar dores fortes e transitórias.

Além disso, existe também a lombalgia ocupacional, que se sucede por causa de carregamentos de pesos brutos, de exercícios que requer longos períodos sentados ou em pé,  ou posturas não benéficas, incorretas. Podem estar relacionadas à lombalgia nas circunstâncias em que o preparo físico ou o peso corporal do paciente não sejam o ideal à suas proporções físicas.

As lombalgias ocupacionais praticam-se de forma crônica. A limitação do trabalho físico do paciente e a mudança de costumes do dia-a-dia podem derivar em uma sensação de perda que sensibiliza o humor e o estado psíquico, podendo carregar a alterações mentais, como irritação, depressão e ansiedade, muito comuns nos quadros de lombalgia.

Por isso é sempre importante realizar uma anamnese e avaliação física com seu instrutor, para identificar os costumes que possam estar afetando a saúde da coluna. Pois a rotina de cada pessoa releva muito acerca da condição de dor que o paciente/aluno está passando.

Solicitar mais informações
omega4omega4omega4
Endereço Omega4 Estúdio do Corpo
Rua Osório Duque Estrada, 35 - Paraíso - São Paulo
11 2386-9717 | Whatsapp 11 94048-3704
contato@omega4.com.br